BEM VINDO




29 de set de 2010

Um "não o sei o quê" muito chato



É um bicho? É uma planta? É uma bactéria? Nada disso: é um vírus, uma criaturinha tão estranha que, coitadinho, não pode nem ser chamado de ser vivo...Os vírus são tão "singulares" que não se encaixam em nenhum dos cinco reinos em que estão divididos os seres vivos do nosso planeta - Monera, que são as bactérias; Protista, onde "reinam" as algas, Fungi, o reino dos fungos; Plantae, que são as plantas e Animalia que somos nós, os animais.
 


Mas...o que é que os vírus têm de tão diferente? Bom, para começo de conversa eles são acelulares, ou seja, não são "feitos" de células. "Grande coisa...", você pode estar pensando, mas é uma grande coisa mesmo: as células são o "material" básico para se construir seres vivos! Das minúsculas bactérias aos gigantescos elefantes, tudo que é vivo na Terra é feito de células!



E do que é que são feitos então os vírus?

 
Um embrulhinho de ácido nucléico



Um vírus parece um "micropresentinho malvado". Micro porque ele é muito pequeninho, e a gente só consegue enxergá-lo usando um microscópio eletrônico. Presentinho porque essa criatura não passa de um tipo de "papel de embrulho" em que estão guardados os ácidos nucléicos. Mas vamos explicar isso melhor: o tal do "embrulho" do vírus é chamado de capsídeo. Ele é feito de proteínas, e serve para guardar os ácidos nucléicos. Em alguns vírus, o capsídio é mais sabido e serve também para "reconhecer" as células nas quais ele quer se hospedar.



E esses ácidos nucléicos, o que é que são? Ora bolas, são o DNA e o RNA, o "ingrediente" principal dos nossos genes...e dos vírus também. Mas, enquanto os seres vivos têm tanto o RNA quanto o DNA, os vírus só podem escolher um deles: ou DNA, ou RNA, nunca os dois ao mesmo tempo. E é esse material genético que permite que o "presentinho" faça as suas maldades por aí...
 


Os vírus em ação!



Os cientistas dizem que os vírus são "parasitas intracelulares obrigatórios". Esse "palavrão" quer dizer que os vírus só conseguem viver quando estão morando dentro de uma célula. Mas, espera aí: como é que eles podem "viver" se não são seres vivos? É justamente aí que fica a maior esquisitice dos vírus. Quando estão fora das células, eles não tem nenhuma atividade: não se movem, não se reproduzem, não se alimentam e nem respiram. Essa forma "catatônica" dos vírus é chamada de vírion.



Mas quando um vírion dá de cara com uma célula...a coisa muda de figura. Rapidinho ele se enfia dentro da pobre célula e, hospedado na coitadinha, o vírion vira vírus (isso está parecendo um trava-línguas) e começa a se comportar como um ser vivo!



O problema é que o vírus não é um hóspede nem um pouco educado: quando entra na célula, ele "hipnotiza" a infeliz e faz com que ela comece a fazer só o que o malvado vírus manda. E sabe o que ele obriga a célula "anfitrã" a fazer? Novos vírus! É isso aí, a célula vira uma fábrica de vírus funcionando a todo vapor! Em 20 minutos, a "escrava" já fabricou centenas de novos vírus!



E, se por acaso essa célula estiver no seu corpo...você fica logo doente! As doenças causadas por vírus vão de uma simples gripe até a AIDS, que é fatal.



Deu para sacar que esse micro-sei-lá-o-quê não é nada bonzinho...



Nenhum comentário:

Postar um comentário