BEM VINDO




19 de set de 2010

A elaboração de matrizes ajuda os alunos a paquerar melhor

A elaboração de matrizes ajuda os alunos a paquerar melhor
 
Introdução
 
Relacionamentos são a última coisa que se pensa racionalizar na vida. Mas o texto de VEJA mostra que, segundo os especialistas no assunto, entender o processo de seleção de parceiros pode ser valioso para melhorar o convívio das pessoas. Relações amorosas também são o tema da reportagem "Sozinhos Elas Prosperam, Eles Murcham", que pode ser outra fonte de informações para enriquecer esta aula. Quem deseja ir fundo na emoção das pessoas deve falar nos temas amizade e amor. E os alunos não são exceção. Todos têm suas opiniões sobre as características pessoais decisivas para o início e a manutenção de um relacionamento. O que talvez seja surpresa para eles é como a classificação de qualidades pode se tornar uma divertida aula de Matemática sobre matrizes.
 
 
 
Atividades
 
  • Para ganhar tempo, monte um questionário em forma de teste relacionando as possíveis qualidades que seus alunos apreciam num companheiro, incluindo as mencionadas em VEJA. Esse questionário, distribuído aos alunos, deve ser respondido anonimamente ¬- a única identificação necessária é a do sexo.
  • Distribua o questionário, orientando a turma a atribuir pesos de 1 a 5 para cada qualidade (duas qualidades podem ter o mesmo peso: sinceridade ou inteligência, por exemplo, podem ser qualidades equivalentes para alguns). Recolha as folhas e, rapidamente, levante com a ajuda dos alunos as qualidades comuns. Escolha as cinco de maior peso, em ordem de incidência e importância. Você também pode aproveitar o questionário respondido pelos alunos para confrontar a priorização das qualidades com as que foram apontadas ¬ por um público mais velho ¬na reportagem.
  • Leia a reportagem de VEJA com os alunos e proponha uma brincadeira: a turma vai construir uma tabela com as cinco principais qualidades desejadas para o homem e para a mulher. Essa tabela será a matriz (B) dos pesos.
  • Sugira que cada um escolha três pessoas com as quais tenham relacionamento ou gostariam de ter. Vale namoro ou amizade ¬ você vai decidir, considerando o pique da classe. Em seguida, peça que atribuam notas a essas pessoas em cada uma das qualidades escolhidas. Cada aluno pode agora montar uma tabela com três linhas de pessoas e cinco colunas de notas. Isso forma a matriz A.
  • Pergunte à classe como fazer para descobrir a pontuação de cada companheiro. A resposta deverá ser: para cada pessoa, somar os produtos das notas pelo peso do quesito correspondente. O quadro abaixo é um exemplo dessa operação, em que os pesos e notas foram atribuídos aleatoriamente, por uma pessoa do sexo feminino, seguindo as indicações da reportagem.
  • Mostre para os estudantes que essa operação é a multiplicação de duas matrizes . O produto é a matriz . A regra para a obtenção de cada elemento da matriz resultante é, portanto, multiplicar os elementos de cada linha da primeira matriz pelos elementos correspondentes de uma coluna da segunda matriz. Ou seja, para multiplicar, é necessário que o número de colunas da primeira seja igual ao número de linhas da segunda. Como reforço, peça que a turma transforme a matriz-coluna B numa matriz-linha e façam o produto inverso: B x A.
 
 
 
Estenda o assunto montando matrizes com os três pilares das uniões bem-sucedidas indicadas no texto: semelhança, admiração e comprometimento. Você pode aproveitar o questionário respondido pelos alunos para confrontar a priorização das qualidades com as que foram apontadas – por um público mais velho – na reportagem.

 
Fonte:


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário