BEM VINDO




29 de nov de 2016

Fichamento

Instituto Sumaré de Educação Superior
Disciplina: PPII- Projeto Profissional Interdisciplinar.
Professora:
Aluno: Claudia Fernanda de Mello 


Assunto: Ambiente alfabetizador na creche

Referência Bibliográfica: ROSEMBERG, Fúlvia. Raça e Educação inicial. Fundação Carlos Chagas e Puc- SP. Rev. Card. Pesquisa, São Paulo, p. 24- 34. São Paulo, maio. 1991.
Texto da Ficha:  O texto “Raça e educação inicial” de Fúlvia Rosemberg, informa uma seleção e análise dos dados coletados pelas PNADs, de 82,85 e 87 sobre creche, pré escola e séries iniciais do 1° grau, mostrando que a educação para crianças negras tem qualidade inferior que de crianças de outras etnias. Autora enfatiza a importância de se trabalhar deste os primeiros anos da criança na escola, com o tema  preconceito, pois com isso irá melhorar a qualidade dos alunos negros que acabam sofrento preconceitos deste muito cedo, não permitindo que muitos se socializem, porém lutar contra o preconceito é uma decisão que precisa ser feita coletivamente, ou seja,  da esola, da casa, não é uma responsabilidade só de quem é discriminado.  Alfabetizar não se resume, apenas, ler e escrever, vai muito além, pois atraves dela irá permitir ao indivíduo reconhecer sua identidade, seu lugar social e sua própria história.

Para viver democraticamente em uma sociedade plural é preciso respeitar os diferentes grupos e culturas que a constituem, nossa sociedade, é formada não só por diferentes etnias, como por imigrantes de diferentes países, exemplo, orientais, italianos, além disso, as migrações colocam em contato grupos diferenciados. A sociedade brasielira por ter grupos diferenciados no plano social e cultural muitas vezes é marcada pelo preconceito e pela discriminação. Para a escola o desafio é investir na superação da discriminação e proporcionar à criança  a riqueza representada pela diversidade étnico-cultural que compõe o patrimônio sociocultural brasileiro, valorizando a trajetória particular dos grupos que compõem a sociedade.  Mudar essa situação e auxiliar para que não aconteça na construção da auto-imagem das crianças em nosso país, onde o negro se sinta submisso e o branco, superior, acontecerá em casa, com pais conscientes e principalmente nas escolas, através de iniciativas criativas desenvolvidas, buscará combater essa triste realidade, ensinando aos pequenos a terem consciência de uma igualdade Racial, objetivando a promoção da pluralidade cultural e  assim acabar com o racismo.

Observando e compreendendo a socialização das crianças no jardim de infância no que diz respeito a diferentes tipos de etnias e culturas, implicará uma reflexão encima das alternativas disponiveis atualmente sobre esses temas na alfabetização e letramento.

ROSEMBERG informa que analisar o como se ensina a relação com o outro está muito ligado com o diagnóstico das boas práticas, mas também dos eventuais efeitos perversos. Respeitar à diversidade é um direito de todos os alunos junto com um desenvolvimento de uma socialização sem discriminação, pois as diferenças não são impedimento para o cumprimento da ação de educar, sendo, no entanto, fator de enriquecimento pedagógico.

Comentários sobre a obra:  Utilizar de materiais onde mostre e enfatize as diferenças culturais através de uma utilização de imagens estereotipadas, mostrará aquilo que os cientistas sociais têm recentemente vindo a chamar de diferencialismo e com isso mostrará a criança nesse processo histórico uma das piores formas de racismo.

Criar condições onde se tenha e seja desenvolvido respeito pela diversidade, e trabalhar rotineiramente e não apenas em datas comemorativas a questão do preconceito, faz com que a criança valorize as diferenças, e isso é uma das responsabilidades das escolas em toda educação básica, isso pode ser feito ao incluir na atividade permanente de leitura das crianças, histórias vividas por representantes dos váriados grupos étnicos desempenhando os mais diversos papéis, pois na literatura, os papéis reservados aos negros sempre foram de personagens explorados, escravizados, pobres, marginalizados,  empregadas domésticas e meninos de rua. A valorização da diversidade é dificuldada, pois mostra uma ausência de negros no papel de heróis e princesas, e é de grande importância para uma criança negra, ter referencias positivas da auto-imagem, e para as demais crianças também é positivo, pois possibilita a construção de uma imagem mais plural da sociedade.

É importante desenvolver esse trabalho na creche, pois quanto mais cedo, se começar a conscientizar as crianças na conscientização da quebra de barreiras do preconceito racial e mostrá-las que todas as pessoas são diferentes umas das outras, tanto em cor, gosto, cultura, mas cedo elas poderão se livrar do estigma da diferença racial que continua presente em nossa sociedade. Fazer as crianças reconhecerem essas diferenças, os professores, os pais, estará de certa forma, estimulando-as a conviver e a aceitar essas características como sendo únicas e particulares de cada indivíduo, livrando- as das marcas de segregação racial e étnica.

Localização da Obra: Disponível em: . Acessado em: 17-10-2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário