BEM VINDO




29 de nov de 2016

FACULDADE SUMARÉ

Claudia Fernanda de Mello 
Turma B1-NM

Reflexão sobre o artigo  “Profissão Professor”.


O  artigo do grupo foi pensado na profissão do professor, pois quando pensamos na Educação brasileira, e o grande desafio evidentemente é a Educação de qualidade pra todos, precisamos pensar em um pacto entre o professor e o aluno.

O professor é o centro de tudo na Educação. A aprendizagem vem dele, vem da forma como ele se prepara, da forma missionária como ele encara seu papel, da forma competente como ele procura transmitir conhecimento, procura provocar nas nossas crianças a vontade de aprender sempre, de buscar conhecimento. Qualquer tratamento de problemas da Educação, qualquer proposta de evolução de Educação, necessariamente tem que passar pela figura do professor.

E hoje no Brasil, nós precisamos mais do que nunca resgatar o sentido mais profundo da missão do professor, precisamos valorizar sua carreira, despertar a vontade de acreditar que eles podem transformar esse País.

Professor pelo menos para mim,  é a chave da eficácia da sala de aula. No momento em que a aula começa e a porta da sala se fecha, o professor é a pessoa capaz de promover a aprendizagem dos alunos.

Um bom professor não é simplesmente uma pessoa com um dom divino, e sim aquele que estudou pra isso, que se preparou pra isso - tanto em conteúdo, quanto em metodologia. É aquele que prossegue se formando ao longo dos anos, e que deve ser respeitado como tal, como um profissional que age bem dentro da sala de aula, porque está bem formado e porque consegue trabalhar com os alunos.

Hoje, o bom professor tem que enfrentar muitas dificuldades, principalmente com relação à própria carreira, que não é socialmente respeitada, que não é financeiramente bem remunerada e que não tem um futuro muito longo, porque ainda não está desenvolvida no Brasil. E mais, as faculdades não estão formando esse profissional que precisa de bons conteúdos e boas metodologias que gerem eficácia na sala de aula.

Precisamos que as faculdades que formam pedagogos, licenciados e profissionais que vão atuar nas salas de aula, passem a olhar pra esse aspecto das práticas da sala de aula, com conteúdo e com metodologia. Não podem apenas tratar deles como se fossem futuros pesquisadores, falando de filosofia, de sociologia da Educação e de grandes teorias educacionais.

E atraves das entrevistas pude perceber que as professoras por atuarem na licienciatura em órgãos diferente, uma na escola pública e outra na particular, tem praticamente a mesma formação, não fizeram uma especialização, mas ambas tem intenção de no futuro, cursar uma pós- graduação.

Outra semelhança entre elas, é que a pedagogia sempre foi muito presente em suas vidas e que dão muita importância na participação e opinião de seus alunos em sala de aula. No decorrer da entrevista elas deixam claro que a participação da família ainda tem que melhorar, pois tem  famílias extremamente participativas, porém há famílias que vêem a escola como “depósitos”, fazem o básico, até por conta da vida corrida, então, ainda há um longo caminho a ser percorrido para que se alcance o ideal.

Abordando o tema construtivismo, na entrevista a professora da escola pública se considera  uma educadora mais construtivista, pois busca, entre outras práticas, oportunizar atividades em que os alunos possam interagir, construindo e organizando seus próprios conhecimentos. Já a professora da escola particular acha importante a aprendizagem lúdica, mas é sou a favor dos cadernos para registros e fixação.


Enfim a minha intenção ao desenvolver o artigo “Profissão Professor”,  era de poder abordar  alguns requisitos necessários à profissão docente, sem, contudo, esgotarmos o tema, por se tratar de um assunto muito vasto e instigante dentro da educação. Minha participação, foi deste a ideia do tema do artigo, seu desenvolvimento (conteúdo) e power point da apresentação e por fim, a própria apresentação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário