BEM VINDO




26 de fev de 2011

II Simpósio Lutas Sociais na América Latina

"Crise das democracias latino-americanas: dilemas e contradições"





Em linhas gerais, o Simpósio pretende discutir os dilemas e contradições dos regimes democráticos latino-americanos sob a "onda neoliberal" que teima em permanecer hegemônica em praticamente todo o subcontinente. A hegemonia neoliberal não tem significado ausência de lutas e resistências das classes populares. Ao contrário, nos últimos anos, a América Latina tem se transformado num verdadeiro caldeirão de revoltas, bloqueios de estradas, derrubada de governos, manifestações massivas contra o projeto neoliberal etc. O século XXI nos instiga a pensar a contra-hegemonia popular latino-americana.


América Latina hoje: difícil conciliação entre neoliberalismo e democracia



Parece cada vez mais difícil conciliar regime democrático com neoliberalismo, pelo menos nas atuais condições econômicas e sociais da América Latina. O que não quer dizer que não seja possível. Entretanto, como se tem observado, as políticas neoliberais têm apontado, cada vez mais, para uma concentração e centralização do capital em praticamente todos os países da região. Têm significado a piora das condições de vida de milhões de pessoas, o aumento da violência horizontal e dos índices de desemprego. Presenciamos, com frequência, as classes populares, através dos seus diversos movimentos sócio-políticos, recorrerem a ações extra-parlamentares para conseguir do Estado suas reivindicações. As democracias latino-americanas tornaram-se meramente eleitorais, despojadas de qualquer possibilidade de conquista de novos direitos sociais. Ao contrário, têm significado a retirada de direitos. Esses momentos parecem apontar para o "esgotamento" dos mecanismos eleitorais, uma vez que os governos eleitos têm se comprometido, em grande medida, com os interesses do capital financeiro internacional e seus aliados locais. Mas não é só: vários dos governos eleitos têm se envolvido em escândalos de corrupção, o que demonstra, para amplos setores da população, os limites dos regimes democráticos nos países de capitalismo dependente. Não é por outro motivo que a conciliação entre neoliberalismo e democracia tem se tornado cada mais difícil em países como a Bolívia, Argentina, Colômbia, Venezuela, Peru, Equador, México, Brasil etc. Instigado por estas e outras questões relevantes, o GEPAL propõe a realização do II Simpósio Estadual Lutas Sociais na América Latina, cujo tema será "Crise das democracias latino-americanas: dilemas e contradições".

Nenhum comentário:

Postar um comentário